Portfolio
As áreas em que nos especializámos e que podemos ser uma mais valia

ABASTECIMENTO

Sendo o abastecimento o acto de fornecer água ou outro fluido a uma rede de consumo, grande parte é efectuado através de sistemas de bombagem, quando a pressão gravítica não consegue satisfazer as necessidades da instalação.

Existem diversos tipos de equipamentos com diferentes tecnologias adaptadas às necessidades de cada instalação, sendo cada vez mais eficientes minimizando ao máximo o impacto ambiental.

Sem sistemas de bombagem não seria possível termos uma sociedade organizada e evoluída como a que temos actualmente.

AVAC - Aquecimento, Ventilação e Ar Condicionado


Esta tecnologia está destinada ao conforto ambiental no interior de edifícios.

É composta por um conjunto de equipamentos que têm como principio, a transferência de energia térmica através de permuta, permitindo climatizar confortavelmente e eficientemente espaços interiores.

Podem ser circuitos de água fria, água quente ou mistos, tendo sempre como principal componente uma bomba circuladora, para efectuar a circulação do fluido que transporta e transfere a energia térmica produzida na instalação.

CAPTAÇÃO

As águas subterrâneas são a maior fonte de água doce no estado líquido disponível no planeta, representando cerca de 95% das reservas de água explorada.

Mais de metade da população mundial depende das águas subterrâneas, através de poços, furos artesianos e outros meios que se encontram no subsolo.

A forma mais directa de obter água subterrânea sem ser através de meios rudimentares, e através de bombeamento, permitindo captar a grandes profundidades, caudais elevados.

Existem diversas tecnologias nos equipamentos de captação, podendo ser alimentados por energia fornecida da rede de distribuição ou através de sistemas solares ou eólicos, utilizados maioritariamente em zonas remotas com difícil acesso sem rede eléctrica.

Cada vez mais a captação de água subterrânea tem que ter controlo para que não existam explorações insustentáveis que ponham em causa o meio ambiente.

SUPRESSORES DE INCÊNDIO

Como a própria palavra indica, os supressores de incêndio ou as centrais de combate a incêndio, são sistemas essenciais para a extinção de um incêndio através de água, para a protecção de bens e pessoas.

Sendo um elemento cada vez mais importante na segurança dos edifícios, estes sistemas de bombeamento de água sob pressão para as redes de incêndio, garantem a segurança, visto que a destruição provocada por um sinistro deste tipo causa danos elevados e irreparáveis.

Na sociedade actual é usual este meio de segurança, permitindo construir um edificado mais moderno, com dimensões maiores e de melhor qualidade.

Existem diversos tipos de sistemas de bombagem para este fim, adequados às necessidades de cada edifício, cabendo aos especialistas elaborarem projectos de segurança bem dimensionados e adequados às normas em vigor.

As companhias de seguros, reduzem os custos das apólices em edifícios que tenham sistemas deste tipo, pois os edifícios têm um nível de risco menor.

ÁGUAS RESIDUAIS E PLUVIAIS

Definida normalmente como esgoto, toda a água que tenha tido utilização humana ou dos seus meios e que altere as suas características naturais, é designada por água residual. No caso das águas residuais existem variáveis consoante a sua proveniência, do uso comercial, industrial ou doméstico.

As águas pluviais são águas provenientes da queda da chuva, captada por superfícies de contacto tais como, coberturas, telhados, zonas impermeáveis, seguindo o seu percurso para a rede separativa designada por esgoto pluvial.

Ao longo de todo o ciclo da água pluvial, o seu percurso nas instalações, requer a aplicação de sistemas de bombagem devido à impossibilidade de drenar graviticamente para a rede correspondente.

Ambas as águas, residuais e pluviais são reutilizadas para utilizações secundárias, provenientes das estações de tratamento e recorrendo sempre a sistemas de bombeamento.

SAAP - Sistema de Aproveitamento da Água da Chuva

O aproveitamento de água da chuva é a forma mais simples de obter água doce, recorrendo à sua recolha através de superfícies impermeáveis e ao armazenamento da água em reservatórios.

Com a evolução e a escassez de água doce, o aproveitamento da água da chuva tornou-se uma prática usual em países cuja necessidade faz a diferença na qualidade de vida das populações.

Nos países mais desenvolvidos e onde a abundância de água doce e potável é corrente, existe cada vez mais a consciência de mudança nos hábitos de utilização da água, muitas vezes na utilização da água para fins não potáveis, que não requer a utilização de água potável com a qualidade de consumo humano.

Assim a utilização da água da chuva é forma inteligente de sustentabilidade, onde este recurso pode ser utilizados para aplicações que não exijam uma qualidade extrema, dando como exemplo a utilização em rega, circuitos de climatização (AVAC), redes de incêndio, instalações sanitárias, máquinas de lavar e outras aplicações industriais ou domésticas.

Existem no mercado soluções adaptadas a cada tipo de instalação, tendo apenas que ser previsto no projecto o que se pretende aplicar, tendo como base a redução de consumo de água potável, redução do custo, sem por em causa a eficiência do edifício e segurança para os utilizadores.

A qualidade do edificado não passa apenas pela sua eficiência energética, mas também para sua eficiência hídrica, acreditamos que será o próximo passo para valorizar edifícios, a sua aplicação irá melhorar a qualidade de vida.

TRATAMENTO DE ÁGUA

Sendo a água um simples elemento da natureza, que cada vez mais é alterado no seu estado natural devido ao contacto com agentes externos que modificam as suas características naturais.

Devido a estas modificações é necessário efectuar tratamentos de forma a corrigir e eliminar os agentes residuais contaminantes e incrementar os elementos essenciais, para restituir à água as suas características naturais ou as adequadas às condições pretendidas.

Existem diversos processos de tratamento dependendo de diversos factores como o pH, presença de matéria orgânica e inorgânica.

Consoante a qualidade da água disponível através de análises físicas e químicas, deverá ser estudado o tipo de tratamento a aplicar tendo em conta a sua utilização e a que fim se destina.

Existem tratamentos simples e outros mais complexos, utilizando métodos de filtragem, de tratamento químico, desinfecção, desmineralização, descalcificação e outros tratamentos que tornam a água apropriada a cada necessidade.

A saúde de uma população depende em grande parte da qualidade da água que utilizam e consomem, sendo actualmente umas das preocupações das entidades sanitárias dos países que mais sofrem com a qualidade da água.